Financeiro

Leia em 4 minutos

Gastos, custos, despesas e investimentos: você sabe como diferenciar? Diferenciar gastos, custos, despesas e investimentos é uma tarefa difícil. Confira alguns conceitos e dicas de como classificar os gastos da sua empresa.

Por Francesca Rodrigues

Para registrar suas operações e analisar o seu negócio, é essencial entender a diferença entre gastos, custos, despesas e investimentos.

É por meio dessa diferenciação que pode-se avaliar os resultados e compreender relatórios importantes como a DRE.

Nesse artigo vamos apresentar esses conceitos de forma clara e fácil, além de dar dicas de como classificar corretamente os gastos da sua empresa.

Continue lendo!

Gastos

Os gastos são todas as saídas de dinheiro da empresa.

Podemos dividir os gastos em custos, despesas, investimentos e movimentos não operacionais.

Vamos ver mais detalhadamente cada um deles a seguir.

Custos

Os custos estão diretamente relacionados a produção. São os gastos atrelados a atividade fim da empresa. Quanto mais você vende, mais esses gastos aumentam.

Para identificar os custos é necessário ter o seguinte pensamento: tudo o que você gasta para levar o produto ou serviço a ponto de venda é um custo.

Note que os gastos com venda não entram aqui.

Nas indústrias, são os gastos ligados a produção.

Já no comércio, todos os gastos para adquirir, gerir, armazenar e tratar as mercadorias, como as embalagens, por exemplo.

E para os prestadores de serviço, todos os gastos relacionados ao que a empresa gastou para produzir o serviço final.

Note que não há uma fórmula precisa para identificar um custo.

A energia elétrica, por exemplo, pode ser um custo para uma indústria e para um comércio não.

Portanto, não tente enquadrar seus gastos seguindo algum modelo, é essencial que você, gestor, entenda o processo do seu negócio para aí sim conseguir classificar os seus gastos de forma efetiva.

Abaixo algumas frases que podem lhe orientar a identificar um custo:

Se eu parar de vender, faz sentido esse gasto continuar existindo?

A resposta dessa pergunta deve ser não para esse gasto ser considerado um custo.

Quanto mais eu vender, mais este gasto aumentará?

Já essa deve ser sim para o gasto ser um custo.

Alguns exemplos de custos:

  • Fretes pagos na matéria prima;
  • Compra de mercadoria para revenda;
  • Salários dos envolvidos na produção;
  • FGTS e INSS sobre o salário dos envolvidos na produção;
  • Energia elétrica consumida para produção da mercadoria ou do serviço.

Despesas

As despesas são gastos relacionados com a administração da empresa e o comercial.

Essas duas áreas são essenciais para a empresa, mas não colaboram diretamente para gerar novos produtos, mercadorias ou serviços, ou seja, são gastos que não estão ligados diretamente ao objetivo final do negócio.

Enfim, não possuem relação direta com a produção.

Todos os gastos relacionados com equipe comercial e com administração devem entrar aqui.

Pense da seguinte maneira:

Vendendo ou não, eu terei estes gastos?

Se a resposta dessa pergunta for sim, provavelmente ele será uma despesa.

Note que os salários de produção, pensados de forma exata, continuarão existindo caso você não tenha vendas. Mas, como estão ligados diretamente com a produção, não devem entrar aqui.

Alguns exemplos de despesas:

  • Pró-labore da diretoria;
  • Gastos com marketing;
  • Salários da administração e comercial;
  • Material de escritório;
  • Aluguel de escritório do administrativo;
  • Telefone fixo e celular de vendas e administrativo;

Investimentos

Os investimentos são os gastos realizados na empresa com o objetivo de trazer mais receita ou melhorar a imagem da empresa.

Eles sempre têm uma intenção de retorno.

Exemplos:

  • Compra de máquina para aumentar a produção;
  • Compra de carro para fazer entregas.

Gastos não operacionais

Estes gastos são mais atípicos.

São saídas de dinheiro que não fazem parte do negócio da empresa.

Gastos como distribuição de lucro, pagamento de um empréstimo e até mesmo a venda de algum bem que o sócio usufrui, mas que está no nome da empresa.

Qual a importância de classificar os gastos?

A classificação dos gastos não deve ser vista como uma mera formalidade contábil.

Ela é fundamental para analisar os números da empresa.

Você pode, por exemplo, identificar se os seus custos estão de acordo com o mercado e identificar os gargalos dos processos do seu negócio.

Você pode ainda identificar se as despesas estão elevadas. Isso é um sinal que a empresa possui uma estrutura muito superior ao volume de vendas. Neste caso ela precisa alavancar as vendas ou o negócio precisa ser reestruturado.

Categorizando os seus gastos também é possível ter um maior entendimento de relatórios fundamentais para a gestão do seu negócio, como a DRE.

Conseguiu entender os diferentes tipos de gastos? Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários!