Cobrança

Leia em 3 minutos

Os principais cuidados ao cobrar do seu cliente Cobrar seu cliente é uma tarefa delicada. Veja nesse post os principais cuidados que você precisa ter para não comprometer sua estratégia de cobrança.

Por Francesca Rodrigues

Cobrar o cliente não é uma tarefa fácil. Além de todo o transtorno que a inadimplência pode trazer ao caixa da sua empresa, esse é um momento extremamente delicado.

É preciso tomar cuidado para que você cobre o cliente dentro do que a legislação permite.

Também é preciso atentar-se para não manchar o nome da sua empresa. Com o alcance das mídias sociais e da Internet, todos os processos do seu negócio, inclusive a cobrança, precisam ser altamente pensados, evitando mal entendidos por parte dos clientes.

Por isso, juntamos nesse post os principais cuidados que você precisa ter ao cobrar seu cliente. Continue lendo!

Faça a cobrança de forma adequada

O primeiro cuidado que deve-se ter ao efetuar uma cobrança é a forma que esta será feita.

Seja por telefone, e-mail, WhatsApp, SMS, todas as comunicações por parte da empresa devem ser feitas de forma sutil, tendo tons amigáveis e sendo discretas.

Além de manter a comunicação de forma mais leve com o seu cliente, o artigo 71 do Código de Defesa do Consumidor aponta que utilizar de ameaça, coação, constrangimento e informações enganosas para a cobrança é crime, e passível de detenção.

Além disso, a cobrança deve ser feita somente em horários comerciais para que esta não interfira nos momentos de descanso e lazer do consumidor, conforme previsto neste mesmo artigo do CDC.

Já o artigo 42 aponta que as comunicações referente a dívida devem ser feitas apenas com o responsável. Isso significa que você não pode passar informações para terceiros ou expor o consumidor ao constrangimento.

Por isso, seja profissional, cobre seu cliente com respeito e treine a sua equipe para isso.

Prepare-se nas cobranças por telefone

Muitas empresas fazem a comunicação de forma correta, mas não estão prontas para resolver o problema.

Ao efetuar uma ligação de cobrança, tenha em mãos todas as opções de acordo e respostas para as principais dúvidas.

Assim, se o cliente quiser negociar, poderá fazer na mesma hora, trazendo resultados mais rápidos para a cobrança.

De nada adianta fazer as comunicações de uma dívida corretamente se na hora de resolvê-las você não está preparado.

Tenha um script de dúvidas recorrentes e esteja pronto para negociar a dívida!

Tome cuidado com a negociação

Outro ponto importante é tomar cuidado com as negociações ofertadas.

É claro que cada empresa sabe o quanto aquela dívida causa de impacto no caixa e o quanto está disposta a negociar.

Mas, o ideal é que você não diminua o valor final do débito, mas sim ofereça opções de parcelamento.

Ao diminuir o valor da dívida, é possível que esteja incentivando a inadimplência em vez de combatê-la.

Cabe o bom senso: é melhor receber menos do que não receber, mas não torne essa prática um hábito.

Cobre apenas as taxas de multa e juros permitidas

Muitas empresas cobram taxas excedentes ao permitido devido aos atrasos. Essa é uma prática ilegal.

Deve-se cobrar até 2% de multa e 1% ao mês de juros. Não corra riscos, cobre somente o previsto em lei e evite problemas.

Proteste os títulos passíveis de comprovação

Outra prática que pode ajudar na cobrança dos títulos e na redução da inadimplência é o protesto.

Porém, é necessário tomar cuidado para protestar apenas aqueles títulos que tenham comprovação.

Ao protestar um título sem comprovação fiscal, é possível que o devedor entre com ação por conta da cobrança indevida, além de gerar problemas com o Fisco.

Portanto, utilize o protesto apenas para aqueles títulos passíveis de comprovação.

Lembre-se sempre: se a cobrança não é feita da forma correta, é possível que o cliente manche seu nome e comprometa seus resultados, além de poder causar problemas jurídicos devido a uma cobrança mal feita.

O ideal é que o devedor seja cobrado e continue sendo seu cliente, mas é necessário reavaliar a política de concessão de crédito para ele.

E você? Toma outros cuidados ao cobrar o cliente? Compartilhe nos comentários!