Cobrança

Leia em 5 minutos

Como emitir um boleto bancário? Quer saber como emitir um boleto bancário? Nós mostramos nesse post como emitir boletos sem se preocupar com arquivos de remessa e de retorno.

Por Francesca Rodrigues

O boleto bancário é uma ferramenta muito utilizada para cobrança.

Isso se dá porque por meio dele é possível que o seu cliente efetue um pagamento sem ter vínculo com algum banco.

A oferta de diferentes formas de pagamento já não é um diferencial para as empresas, mas sim uma obrigação.

Talvez você nunca tenha parado para analisar, mas o boleto bancário pode trazer diversas vantagens para o seu negócio.

As taxas cobradas pelos bancos, normalmente, são menores para os boletos em relação às do cartão de crédito e de débito. Além disso, dependendo do seu modelo de negócio, você pode oferecer parcelamento sem depender do cliente ter cartões de crédito ou cheques.

Está interessado e quer saber como emitir um boleto bancário? Continue lendo nosso artigo!

Como emitir um boleto bancário?

Existem duas formas tradicionais de emitir um boleto bancário: por meio de bancos ou sistemas de gestão.

Emitindo boletos por meio de bancos

Emitir boletos através dos bancos é, sem dúvidas, a alternativa mais burocrática.

Além disso, pode não ser a ideal para micro e pequenas empresas devido às suas taxas que podem ser altas em caso de baixa demanda.

Para utilizar essa alternativa é necessário ter uma conta jurídica em um banco. E alguns bancos pedem que tenha um tempo mínimo de conta ativa para poder habilitar a emissão de boletos.

É necessário também fazer um contrato de emissão de boleto bancário com o banco, e então é disponibilizada uma ferramenta online, onde deve-se preencher todos os dados da venda, como, por exemplo, o cedente, CPF ou CNPJ do cedente, sacado, preço, data de vencimento e data limite.

Nessa emissão é cobrada uma taxa de acordo com a negociação, que normalmente varia de banco para banco e de acordo com o seu volume de boletos emitidos.

Para saber se o boleto foi pago ou não, é necessário entrar no sistema do banco e baixar o arquivo de retorno que mostrará os boletos que já foram quitados.

O grande problema da emissão pelos bancos é que todas as situações inesperadas são cobradas.

Imagine, por exemplo, que o cliente passou na loja e pagou com dinheiro. Para fazer o cancelamento do boleto pode ser necessário pagar uma taxa, além da taxa de emissão. Assim como para alterações de datas de vencimento ou dados, cancelamentos e até mesmo para os pagamentos em atraso.

Além disso, para alterar um boleto no sistema do banco, é necessário enviar todos os dados novamente através do arquivo de remessa.

Assim que o boleto é quitado, o valor é creditado em sua conta no prazo fixado pelo banco, normalmente de dois a três dias úteis.

E então, para finalizar a operação, você precisa fazer o controle dessa baixa a parte, seja em planilhas ou em sistemas de gestão.

Emitindo boletos por sistemas de gestão

A segunda alternativa é emitir os boletos através de um sistema de gestão, como o ISA ERP.

Nessa alternativa também é necessário ser correntista bancário como pessoa jurídica e estar habilitado pelo banco para a emissão de boletos.

As taxas cobradas pelo banco permanecem as negociadas. Muitas vezes cobradas pela emissão, alteração, cancelamentos e até mesmo atrasos.

A grande vantagem em emiti-los através do sistema de gestão é que não há a necessidade de redigitação: você informa os dados da venda uma única vez.

Você faz a venda, emite os boletos sem precisar informar novamente os dados do sacado e cedente e imprime para o seu cliente.

O problema é que no final do dia precisa gerar o arquivo de remessa, entrar no Internet Banking e enviá-lo.

O mesmo vale para o retorno: precisa fazer o download do arquivo do Internet Banking e importar para o sistema de gestão.

Uma vantagem é que todas as contas a receber referentes aos pagamentos por boleto são baixadas automaticamente com a leitura do arquivo de retorno. Assim, você não corre o risco de cobrar aquele cliente que já pagou.

Um outro problema bem grande dessa modalidade de emissão de boleto é o processo de homologação e credenciamento exigidos pelo banco.

Normalmente, a sua empresa terá que gerar diversos boletos de exemplo, enviá-los para o setor de homologação de boletos do banco em questão e esperar a aprovação.

O credenciamento poderá demorar desde poucas horas até vários dias, sendo que este último caso é o mais provável.

E tem mais: se você emite boleto em mais de um banco diferente, você precisa solicitar o credenciamento do boleto em cada um deles. É uma verdadeira dor de cabeça.

Emitindo boletos sem burocracia de arquivos de remessa e retorno

Agora, se você quer fugir de toda essa complicação de arquivo de remessa e retorno, a dica de ouro é usar o Fácil123.

Através do Boleto Fácil, não é necessário abrir uma conta bancária jurídica e você pode, inclusive, receber os valores através da sua conta de pessoa física.

Com apenas um clique, você envia o boleto para seu cliente sem se preocupar com arquivos de remessas.

O Fácil123 também conta com uma taxa única. Isso quer dizer que você só paga o boleto uma vez e apenas se receber por ele.

Aquela situação de ter que pagar para alterar, cancelar e até mesmo para receber em atraso, fica para trás.

E o melhor: a baixa do boleto é dada no sistema automaticamente após o pagamento, sem se preocupar com os arquivos de retorno. Parece mágica, né?! 😍

Sabe aquela situação da homologação e credenciamento? Aqui ela não existe. Você sai emitindo seu primeiro boleto em poucos minutos.

Quer conhecer um pouco mais? Entre em contato conosco e agende uma demonstração agora mesmo!