Financeiro

Leia em 3 minutos

Cinco erros mais comuns cometidos em fluxos de caixa. Como evitá-los? O fluxo de caixa é a ferramenta para entender e controlar a saúde financeira de seu negócio. Aprenda como não cometer alguns erros bastante comuns!

Por Redação

O fluxo de caixa é a principal ferramenta para que o gestor possa entender e controlar bem a saúde financeira de seu negócio. Somente com as finanças organizadas o empreendedor pode fugir das dificuldades perante suas obrigações e planejar adequadamente seu crescimento.

O ideal é acompanhar o fluxo de caixa continuamente, usando-o como referencial a fim de tomar suas decisões futuras. Mas como deixar esta ferramenta confiável? Veja alguns erros que são bastante comuns no fluxo de caixa e aprenda a não cometê-los!

Não atualizar continuamente a ferramenta

Se você só dá atenção para as saídas e entradas de recursos em seu negócio no final do mês ou de quinze em quinze dias, por exemplo, pode estar cometendo um grande erro. Suas vendas e negociações são diárias, portanto os lançamentos devem ser feitos também diariamente. Não são raras as vezes, também, em que reposições urgentes de materiais administrativos carecem de ser feitas ou outras saídas emergenciais são contabilizadas apenas no final do mês — e pior: são, muitas vezes, esquecidas! O acompanhamento e a atualização diária garantem o controle verdadeiro do fluxo de caixa, de maneira que nenhum fluxo financeiro seja perdido e o gestor possa ter um panorama sensível da saúde financeira da empresa.

Não fazer os lançamentos em categorias

É importante separar as receitas e despesas em grupos ou planos de contas. O registro simples de cada fluxo financeiro como receita ou despesa não fornece ao gestor a dimensão correta da origem e do destino do capital que circula dentro de sua empresa. Identificando onde se está gastando mais, com precisão, torna possível reduzir ou até extinguir determinados gastos; em contrapartida, sabendo de onde chegam os principais recebimentos de seu negócio, podem-se ter mais incentivos para estratégias de mercado que estimulem mais essas procedências — que estão dando certo.

Lançar vendas em vez de recebimentos

Quando o cliente faz uma compra à vista e paga tudo de uma vez, a ocasião é ótima para o seu negócio e você já pode contar com o dinheiro para movimentar seu caixa e cobrir obrigações. Porém, é comum que as vendas sejam parceladas, e isso significa que o dinheiro só vai entrar efetivamente na empresa ao vencimento de cada parcela. Os lançamentos no fluxo de caixa devem ser baseados nos valores que efetivamente recebeu a cada mês, para que não se conte com recursos que ainda não estão disponíveis.

Inconsistência nos dados registrados

De pouca coisa adiantará — na verdade, pode até atrapalhar mais a longo prazo — se você fizer os lançamentos diariamente na planilha de seu fluxo de caixa, mas os dados estiverem pouco detalhados ou incompatíveis com a realidade. Se houver confusão de informações, o gestor vai perder tempo para ajustar a ferramenta e poderá até assumir decisões erradas com base nos dados ruins ou incompletos que tiver.

Nós fizemos uma planilha de fluxo de caixa categorizado para auxiliar você nessa tarefa! Aproveite! É gratuito!

Superestimar os lucros futuros

É considerável que o gestor faça previsões tão realistas quanto os dados que tem em mãos, a fim de projetar seu estoque, harmonizar seus pagamentos e planejar um crescimento que seja legítimo. Informações imprecisas podem trair suas previsões, mas o excesso de otimismo e de confiança sem bases sólidas também pode fazê-lo estimar lucros mais elevados do que poderia verdadeiramente conquistar. Analise os cenários com cuidado.

Nem sempre será possível fugir de todos os erros, afinal errar é humano. Contudo, sabendo-se dos equívocos mais comuns praticados no fluxo de caixa, você poderá ficar mais atento e fugir de cometê-los. Como você tem cuidado do fluxo de caixa em sua empresa?