FinanceiroGestão

Leia em 3 minutos

Controle financeiro da empresa: veja 8 práticas essenciais É muito chato ter surpresas desagradáveis na gestão financeira. Confira nossas dicas para tornar o planejamento financeiro mais simples!

Por Redação

O controle financeiro da empresa é fundamental para que ela se mantenha competitiva no mercado e garanta o equilíbrio do caixa, que evitará surpresas e dificuldades de gestão ou mesmo a inviabilidade do negócio. Para chegar a este controle, são necessárias algumas medidas estratégicas, que reúnem o orçamento e as metas em um planejamento único. Para ajudar você a encontrar e a adotar estas medidas em sua empresa, neste post preparamos oito dicas. Confira!

Tenha clareza sobre a situação da empresa

Como em qualquer planejamento, o primeiro passo é tomar consciência sobre a atual situação financeira da empresa, o que pode ser obtido a partir de um equacionamento entre as receitas e as despesas. Ponha tudo no papel, listando os pontos negativos e os positivos dos processos, o posicionamento que a empresa tem no segmento no qual atua, a situação de mercado do próprio segmento, entre outras informações que permitirão que você visualize os recursos com os quais poderá contar em seu planejamento e o que deverá cortar para garantir a estabilidade da empresa.

Faça projeções sobre os cenários possíveis

Um controle financeiro empresarial eficiente exige que sejam feitas projeções sobre os cenários possíveis que permitam um alinhamento entre os gastos e a receita da empresa. Para tanto, é fundamental prever o ciclo operacional, da fabricação ou desenvolvimento até o recebimento de um produto ou serviço, definindo o valor das despesas que são geradas em cada etapa, como compra, estocagem, produção, venda e recebimento, a fim de que os gastos possam ser confrontados com a receita.

Mantenha um estoque correto

Manter o giro de mercadorias e de insumos é essencial para que as finanças de uma empresa permaneçam sobre controle. Afinal, estoques muito cheios são sinal de dinheiro parado. Por outro lado, estoques insuficientes são prejudiciais para o andamento do negócio. Portanto, busque armazenar os itens no volume correto para o fluxo da sua empresa.

Fuja dos empréstimos

Recorrer a empréstimos é a pior forma de lidar com folha de pagamento, tributos e reposição de estoque. Afinal, os juros corroem os lucros da empresa. Portanto, busque manter um planejamento que permita que a empresa arque com as próprias despesas contando apenas com as receitas que ela gera.

Separe a pessoa física da jurídica

Um dos mais graves erros que o empresário pode cometer é confundir o caixa da pessoa física com o caixa da pessoa jurídica. Com isso, fica praticamente impossível analisar os resultados financeiros da empresa, uma vez que o fluxo de caixa corporativo sofre a influência negativa do caixa pessoal do empresário ou dos sócios. Portanto, defina um pró-labore para os sócios e separe definitivamente as finanças pessoais de cada um das finanças da empresa.

Negocie os prazos com os fornecedores

Os fornecedores devem ser aliados do seu negócio e nunca podem ser comportar como adversários. Ou seja, eles devem proporcionar negociações que permitam que a empresa mantenha dinheiro em caixa enquanto as receitas não chegam. Portanto, negocie com eles prazos que permitam que você mantenha um caixa saudável, mesmo entre os recebimentos.

Pratique o preço ideal

Praticar o preço ideal do seu produto ou serviço é muito saudável para o controle financeiro da empresa, uma vez que ele alinha o custo de produção e as despesas da empresa às projeções de lucro.

Planeje por um ano

Suas metas podem ser mensais, contudo, o seu planejamento deve ser anual, abrangendo todo o exercício da empresa. Essa estratégia evitará improvisos que afetarão negativamente o seu controle financeiro.

Se você ainda tem dúvidas sobre o planejamento financeiro da sua empresa, deixe aqui o seu comentário!